quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Exercício respiratório

...seguindo apenas dois caminhos: um deles o leva ao conhecimento e o outro ao amor. Atingindo a meta, descobre-se com surpresa que não existe conhecimento sem amor; que na verdade, amor é conhecimento e que a passagem secreta para se chegar a ambos é uma só: a respiração.
C.M.Chen

Renascimento é respiração

Tudo começou numa banheira! Nos anos 70, nos Estados Unidos, Leonard Orr estava tomando um banho quente quando começou a sentir que já era hora de sair (aquele amolecimento que sentimos após muito tempo no calor). Leonard ficou curioso para saber o que aconteceria se ficasse por mais uma hora ainda.

Ficou, e após alguns minutos sua respiração começou a se alterar e passou a ter a experiência de estar revivendo seu nascimento. Quando sua vivência terminou, estava se sentindo profundamente relaxado, tranqüilo, feliz e "renascido" - daí o nome Renascimento (Rebirthing). Por algum tempo se acreditou que os resultados obtidos com uma sessão de Renascimento se devessem à água e não à respiração e que seu propósito fosse o de reviver o nascimento e renascer. Hoje em dia, ainda que a água (tanto fria quanto quente) tenha influência no processo, a maioria das sessões são realizadas "a seco" e os resultados vão muito além de experiências ligadas ao nascimento.

Como é feito e a quem se destina.

Numa sessão de Renascimento, inspiramos e expiramos pela mesma via (nariz ou boca), ligando a inspiração e a expiração, sem pausas - o que chamamos de Respiração Circular. Ajudamos a inspiração para que ela seja profunda e permitimos que a expiração seja solta e relaxada, sem interferências. É só isso que precisamos fazer, o resto acontece. Após alguns minutos começamos a experimentar diversas sensações físicas, tais como alterações de temperatura corporal, formigamentos, pequenos espasmos, tremores prazerosos, etc. Também começam a surgir memórias, emoções, sensação de estar fora do corpo ou de reviver algo específico.

O importante no Renascimento é permitir que as coisas aconteçam e continuar respirando sem interferir, apenas acompanhando e observando seu corpo. Após cerca de 1h começamos a experimentar um profundo bem-estar, vitalidade e relaxamento. As sessões de Renascimento duram em média 1h e meia, podem acontecer individualmente ou em grupo, na água ou "a seco", em consultório ou na natureza. Os diferentes ambientes induzem diferentes estados de relaxamento e percepção corporal, emocional e mental. Essa técnica não tem contra-indicação e portanto se dirige a todos que queiram experimentar expansão, prazer e bem-estar, além de estados alterados de percepção. Numa sessão, a técnica é explicada e demonstrada por um Renascedor experiente, que também acompanha todo o processo.

Módulo Básico - 14 a 22 de julho - São Paulo / Venha se surpreender

Esse é um programa intensivo de 9 dias, desenvolvido pelo Instituto de Renascimento de São Paulo, para você experimentar e aprender a técnica do Renascimento (Rebirthing) ou respiração consciente. Respirar sem tensões é uma arte que você irá redescobrir através do próprio corpo. Desfrute 9 dias na natureza. Você vai estar numa bela pousada, no alto da Serra da Mantiqueira, praticando a respiração do Renascimento, consciência corporal e Yoga. Culinária natural, água de qualidade e ar puro completarão o cenário de um ambiente acolhedor e estimulante para a sua vitalidade.

Viva e aprenda Renascimento

Você vai passar por um processo suave e profundo de desenvolvimento pessoal e também vai aprender a conduzir experiências de Renascimento para outras pessoas. Nossa vivência e formação acontece em dois módulos (básico e avançado) e você receberá seu certificado ao final. Todo o aprendizado é prático e teórico, apoiado por material audiovisual e didático (livros, apostilas, cadernos de acompanhamento e CD). Não há pré-requisitos.


Juízo Final - Roselis Von Sass (Graal)

O Juízo Final estará realmente próximo? Existiram deuses na Antiguidade? De onde vieram? Para onde foram? Questionamentos como: a morte terrena e a vida no Além, o porquê de tantas catástrofes e doenças, as transformações do Sol e da Terra...

O Juízo Final estará realmente próximo? Existiram deuses na Antiguidade? De onde vieram? Para onde foram? Questionamentos como: a morte terrena e a vida no Além, o porquê de tantas catástrofes e doenças, as transformações do Sol e da Terra...

Uma verdadeira Enciclopédia do Espírito, onde o leitor encontrará um mundo repleto de novos conhecimentos. Conheça as explicações para diversas profecias sobre o “Apocalipse” e o “Final dos Tempos”, mostrando que estamos vivendo o Juízo Final e que o mundo não vai acabar, apesar das enormes transformações que sofrerá.

Veja também outros temas abordados:

• A Terceira Mensagem de Fátima
• O Filho do Homem
• Uniões Matrimoniais
• Sono e Sonho
• E muito mais...

OS ENTES DA NATUREZA

Os seres humanos de hoje, "altamente civilizados", estando a raça branca à frente de todas, perderam por culpa própria todo o conhecimento sobre os entes da natureza, os quais outrora criaram também em beleza paradisíaca a Terra, tendo sido carinhosos mestres, instrutores e protetores para os espíritos das criaturas humanas, durante longas épocas de desenvolvimento.

Hoje, no Juízo, é de grande importância que todos os seres humanos que desejam sobreviver espiritualmente considerem os povos enteais da natureza não apenas como "deuses da mitologia" e demais figuras lendárias, mas sim os reconheçam como realmente são, isto é, entes que no cumprimento da vontade de Deus criaram os sete Universos da Criação posterior, nos quais os espíritos humanos encontraram acolhimento carinhoso, a fim de poderem amadurecer e desenvolver-se.

Nenhuma das criaturas humanas de raciocínio, que vivem na Terra, pode supor quanto deve aos entes da natureza, atualmente exilados para o país das lendas... Entretanto, é incompreensível que os seres humanos, que se consideram tão inteligentes, não vejam a fagulha da verdade que brilha através das lendas dos deuses, embora estejam tão deformadas.

De idêntico modo, permanece incompreensível o fato de suporem que os maravilhosos mundos da natureza se tenham originado do nada, sem a cooperação de mãos ativas... Na Terra ninguém esperará que um pedaço de pão, roupas, casas e tudo o mais, necessários à vida na matéria grosseira, surjam do nada, sem a colaboração humana... Estão à disposição do ser humano os elementos básicos dos quais pode produzir tudo o que necessita para a sua manutenção... Nos reinos da natureza não é diferente. Sem a cooperação de forças enteálicas realizadoras não seria possível a vida, o movimento, não haveria o crescer, o florescer e nem o fenecer...

Quanto mais as criaturas humanas se afastaram do influxo da luz, tanto mais distantes ficaram da influência de seus amigos enteais da natureza. Tornaram-se arrogantes perante seus mestres e protetores de outrora, ultrajando de maneira vil a confiança que os enteais haviam depositado nelas.

Levou muito tempo, muito tempo mesmo para que os servos enteais de Deus compreendessem finalmente que os seres humanos, cuja supremacia espiritual sempre reconheceram alegremente, foram cedendo aos poucos de maneira inexorável à influência do arcanjo caído - Lúcifer - como também das legiões dos seus servos.

Finalmente, quando não puderam mais ficar alheios ante tal fato incompreensível, retiraram-se, e assim desapareceu o brilho e a alegria que os entes da natureza haviam trazido para a existência terrena dos seres humanos. Pode-se dizer que a criatura humana por duas vezes perdeu o paraíso...

O rompimento com os mundos espirituais da luz e com os entes da natureza não se realizou simultaneamente em todos os povos e nem se deu em poucos milênios! Milhões de anos passaram-se então! Um tempo enorme para o ser humano de hoje, provido de um raciocínio tão estreitamente limitado. Porém, deve-se considerar que em épocas anteriores os seres humanos viviam centenas de anos, e que todo o desenvolvimento se processava em ritmo muito mais lento do que hoje a criatura humana possa imaginar. Além disso, naquela época as encarnações terrenas não se seguiam em ritmo tão acelerado como aconteceu posteriormente. Os espíritos humanos permaneciam durante longos períodos nos mundos fino-materiais, onde o desenvolvimento igualmente prosseguia.

O afastamento da luz e a subseqüente ligação com os centros de forças negativas do reino do arcanjo caído também acarretaram conseqüências físicas. Vagarosa, mas irresistivelmente, a parte posterior do cérebro, isto é, o cerebelo, começou a atrofiar-se.

O equilíbrio, de acordo com a lei, do organismo humano, que outrora funcionava tão perfeitamente, foi perturbado de maneira tão intensa, que nas épocas posteriores as criaturas tornaram-se fisicamente menores, mais feias e atormentadas por toda a sorte de moléstias. Assim, já naquele tempo os seres humanos tinham sido tomados por uma espécie de megalomania intelectiva que hoje alcançou seu clímax. Por causa desse atrofiamento do cérebro, a faculdade de ver, de ouvir, e a bem dizer toda a capacidade receptiva, foram também fortemente prejudicadas. Os seres humanos ficaram impossibilitados de observar os acontecimentos no plano da matéria grosseira mediana, que, como uma segunda e maior Terra, circunda estreitamente este planeta terrestre.

Em outras palavras: o ser humano, devido a tal atrofiamento, perdeu automaticamente a onda de irradiação que podemos chamar "X-4", mediante a qual podia ver e ouvir os fenômenos no ambiente grosso-material algo mais fino. Atualmente e já há muito tempo o ser humano se acha sintonizado em ondas que apenas ainda lhe transmitem impressões de matéria grosseira. E mesmo a capacidade receptiva grosso-material não é assim como devia ser. O aparelho receptivo da criatura humana, devido ao atrofiamento daquela parte do cérebro tão importante, ficou danificado de maneira irreparável, verificando-se que tal anomalia atingiu a maior parte da humanidade!

Talvez seja útil mencionarmos as conclusões a que físicos e astrônomos, isto é, cientistas absolutos chegaram, auxiliados por seus mais aperfeiçoados instrumentos de longo alcance. Por exemplo: Hartmut Bastian escreve textualmente em seu livro "Weltall und Urwelt":

"Tudo que enxergamos com os olhos é, apesar de sua entontecedora plenitude, apenas o resultado de um setor mínimo de manifestações cósmicas. As notícias que com isso nos são transmitidas do Universo devem ser portanto insuficientes! Somos entes da luz, cujo pesquisar e raciocinar recebe o seu estímulo, principalmente, do setor ínfimo de irradiações de 0,72- a 0,397 milésimos de milímetros de onda. Tudo o mais é invisível para os nossos olhos...".

Continua ainda:

"Dentro do setor dessas ínfimas dimensões, encontra-se, pois, tudo quanto de irradiações os nossos olhos conseguem ver, isto é, para nós quase todos os meios de expressão do mundo sensorialmente imaginável.".

O astrônomo Hartmut Bastian, como outros pesquisadores, tem razão ao dizer que é de todo insuficiente o que o ser humano de hoje consegue captar e observar. Mesmo os mais aperfeiçoados instrumentos não podem negar o fato de que são estabelecidos limites ao raciocínio humano.

Os pesquisadores, no entanto, não sabem que os próprios seres humanos se impuseram tais limites. Devido à decadência espiritual e, por conseguinte, ao atrofiamento de uma parte do cérebro, perderam o contato com os demais setores de ondas.

Por essa razão ficou restrita a faculdade de recepção do ser humano terreno, que capta naturalmente apenas impressões da matéria mais grosseira. Também é esse o motivo por que se considera a técnica e demais conquistas de espécie grosso-material como sendo feitos máximos da capacidade humana, louvando-as.

Quantos segredos da natureza permanecerão ocultos aos seres humanos por causa do seu afastamento da luz! Tendo perdido o contato com outras ondas, digamos de modo comparativo "microondas", perdeu-se também a ligação por intermédio da qual as criaturas humanas podiam ver e entender-se com os servos enteais de Deus.

Com raras exceções, pode-se considerar subdesenvolvida espiritualmente ou espiritualmente retardada a humanidade inteira, que se prendeu à matéria grosseira até a autodestruição. Em primeiro lugar, trata-se dos de raça branca que se intitulam cristãos. A falsa fé cristã estreitou ainda mais a capacidade de conceituação de seus adeptos, como sucedeu com outras raças e crenças. Com referência aos missionários cristãos de outrora e da atualidade não é diferente; consideram "pagãos" todos os que crêem em determinados seres da natureza…

Em outras raças há ainda alguns que têm convicção da existência dos entes da natureza... Essa crença, no entanto, está de tal forma contaminada com o medo de demônios, que a verdade original aí contida quase não é mais reconhecida. Pensam que os demônios, cujas formas pavorosas freqüentemente podem vislumbrar, sejam também seres da natureza... Certamente não presumem que tais formas de demônios foram postas no mundo pelos próprios seres humanos, sendo formas de ódio, de inveja, de vício, de inimizade, etc.

Não supõem que tais configurações medonhas nada têm a ver com os entes da natureza... Cada saber e todas as tradições estão misturadas hoje, freqüentemente, com erros e mentiras, até de modo irreconhecível...

POR QUE EXISTE TANTO SOFRIMENTO NA TERRA?

"Perguntas sobre perguntas!… E todas são justificadas. Cada pessoa que deseja encontrar a redenção deve ocupar-se com o ‘porquê’ das coisas."

É justamente o sofrimento que obriga a humanidade de hoje a se ocupar mais com a sua existência na Criação. A mais ninguém é possível viver surda e cegamente, colocando-se de lado, pois o sofrimento chega para cada um de alguma forma. Quer rico, quer pobre… ninguém fica preservado!

Por que tanto sofrimento terreno? Por que, aliás, o ser humano vem ao mundo? Somente para sofrer e após um maior ou menor número de anos morrer novamente? Onde está nisso o sentido da vida? E por que um Juízo Final e um ajuste? E onde fica o livre-arbítrio que, conforme consta, o ser humano possui, se ele está exposto a todos os golpes do destino?

Por que Deus permite que aconteçam tantas injustiças na Terra? Os seres humanos foram criados apenas para sofrer? E não consta que todos são filhos de Deus? Se é assim, por que existe então tanta desigualdade entre as criaturas humanas?

Por que de um lado a pobreza e de outro lado a riqueza e abundância? Por que existem pessoas bonitas e feias? E por que crianças inocentes nascem aleijadas? Estas crassas diferenças não deixarão surgir dúvidas quanto à justiça de Deus?

Perguntas sobre perguntas!… E todas são justificadas. Cada pessoa que deseja encontrar a redenção deve ocupar-se com o "porquê" das coisas. Erguer as mãos em resignação, em revolta ou em desespero, não adianta a ninguém. Ela deve pesquisar pelo "porquê". Ela própria deve procurar! Pois as comunidades religiosas terrenas pouco poderão ajudar-lhe no esclarecimento das muitas perguntas.

Sim, essas comunidades possuem explicações para muitas questões, contudo são explicações que exigem crença cega. Crença cega ou… dúvidas quanto à justiça e amor divinos. Suas interpretações das perguntas básicas da vida são tão cheias de contradições, que seus membros são literalmente obrigados a uma crença cega.

Algumas doutrinas, por exemplo, responderão a todas as perguntas no sentido de sua concepção fatalista da vida. Isto quer dizer que todos os destinos humanos foram predestinados por Deus e que a isso ninguém pode opor-se; que, portanto, também todos os sofrimentos devem ser aceitos com resignação.

Que com isso elas responsabilizam Deus, o Senhor, por todas as situações precárias, não se lhes torna consciente. Tampouco percebem que suas interpretações negam a Deus toda e qualquer justiça.

As explicações que as comunidades religiosas cristãs dão para as muitas perguntas de seus fiéis são também cômodas, mentirosas, e por isso nocivas.

Se em uma família cristã acontece uma infelicidade, comentam logo que Deus enviou esta prova… pois quem Ele ama, este Ele castiga! Ou um outro exemplo: se uma criança nasce com um defeito corporal, diz-se que esta criança deve sofrer por causa dos pecados dos pais. Ou também que os pais, pela desgraça de seu filho, devem ser punidos por alguma coisa…

Igualmente em voga é a concepção de que para Deus tudo é possível, pois Suas deliberações são imperscrutáveis! Todas essas interpretações em nada modificam o fato de que também o Deus dos cristãos é um Deus arbitrário e injusto. Os seres humanos, mesmo os de boa vontade, tacham-No assim!

Também a suposição errônea de que quem sofre na Terra será recompensado no céu ou num nirvana, e que aquele que pratica o mal deverá esperar seu castigo no inferno ou no purgatório, é simplesmente ridícula. Ridícula e triste ao mesmo tempo, pois mostra nitidamente como os espíritos humanos são hoje restritos e estreitos!

Não, a crença cega apenas torna ainda mais pesado o fardo que cada um tem de carregar. Unicamente o saber liberta! O saber das leis infalíveis da Criação, que excluem qualquer injustiça por menor que seja.

Nenhuma pessoa está exposta a golpes arbitrários do destino! Tudo o que a atinge, seja bom, seja ruim, ela tem de atribuir a si própria! Ela própria colocou alguma vez a semente para isso!

A fim de compreender isto, cada um deve saber que já esteve encarnado várias vezes nesta Terra! Uma única vida terrena nunca bastaria para desenvolver plenamente todas as capacidades que residem no espírito humano.

Cada nova vida terrena deveria ter trazido ao ser humano novos reconhecimentos, aproximando-o mais um passo do mundo luminoso. Isto, porém, não aconteceu. Cada encarnação aumentava a distância entre ele e as vibrações harmoniosas das leis da Criação, de modo que no decorrer dos milênios se tornou um pária, isto é, um expulso.

O próprio ser humano se expulsou. Ele sozinho! Seus erros, pecados, pendores e vícios separaram-no dos mundos luminosos. Há milênios vive ele em dissonância com todas as leis da Criação!

Os muitos sofrimentos humanos tiveram início no passado! Hoje cada um colhe apenas aquilo que no decorrer de suas muitas peregrinações terrenas semeou. "O que o ser humano semeia terá de colher!" Quantas vezes Jesus Cristo proferiu estas palavras, exortando e advertindo! O Salvador indicava com isso uma lei da Criação que se efetiva ininterruptamente. Na natureza o efeito desta lei é compreensível a qualquer um. Ninguém esperará trigo se semeou milho. Na vida humana também não é diferente. Quem semeou desconfiança colherá por sua vez desconfiança. Apenas leva mais tempo até que o fruto se tenha desenvolvido da semente.

Somente o saber da existência de repetidas vidas terrenas dá esclarecimentos e explicações sobre o "porquê" dos muitos sofrimentos e das aparentes injustiças sob as quais geme a atual humanidade. Crença cega e dúvida quanto à infalível justiça de Deus aumentam apenas o fardo de culpa que cada um carrega consigo. Quem quer encontrar libertação espiritual deve reconhecer a verdade. Não existe um outro caminho.

COSTUMES NATALINOS DE ERAS PASSADAS

"Natal, a ‘Sagrada Noite’, festejado anualmente em memória do nascimento de Jesus, tornou-se nos dias atuais uma comemoração material grosseira, despida de amor. As preces recitadas monotonamente são vazias e os pedidos também nada mais são do que exigências egoísticas de uma humanidade aprisionada a uma crença errada!"


Os cristãos em sua generalidade supõem, hoje, que as festividades do Natal datem apenas do nascimento de Jesus na Terra e que essas comemorações estejam única e exclusivamente em conexão com aquele nascimento.

Tal suposição está errada, naturalmente!

Desde o começo do desenvolvimento da humanidade, anualmente, na época do Natal de hoje, especiais irradiações do amor divino descem para que a sua luz não se apague nas materialidades tão longínquas!

Cada ano o amor de Deus se inclina enviando suas forças de irradiação e inflamando de novo a luz do amor puro em todas as criaturas que têm de se desenvolver e atuar nessas regiões materiais tão distantes!

Essas forças de irradiação do amor divino formam, ao mesmo tempo, pontes de uma espécie à outra, unindo em amor as criaturas entre si!

Através dessas pontes, outrora, os seres humanos estavam ligados aos povos enteais e por isso a felicidade e alegria reinavam também nesses mundos de materialidade!

O dia do nascimento de Jesus não se deu arbitrariamente nessa época. Ele, o portador de irradiações do amor divino, somente poderia nascer numa época em que uma parte dessas irradiações tivesse seu efeito especialmente concentrado na Terra.

"Natal" chama-se a noite em que o Filho de Deus nasceu!... Tem a mesma significação que "Noite Sagrada"!

Os antigos germanos e outros povos nórdicos denominavam a festa que naquela época celebravam, "as doze noites sagradas", pois as festividades duravam geralmente doze dias e doze noites...

Todos os seres humanos, quando ainda ligados à luz, sabiam através de seus auxiliadores espirituais e enteais que nesse período, em que hoje é celebrado o nascimento de Cristo, estendia-se para eles o amor celeste e que deveriam se preparar especialmente para o evento, a fim de participar dessa dádiva do Céu de modo solene e condigno.

Enquanto os seres humanos ainda não portavam em si o estigma de Lúcifer, todas essas festividades, em qualquer forma que fossem realizadas, efetuavam-se condignamente. Sempre se manifestava o seu profundo sentido!

A alegria, a afirmação positiva da vida e o saber do divino amor universal reinando sobre todos os mundos, elevavam-se quais orações de agradecimento para a luz.

Os seres humanos não conheciam então preces e pedidos. Verdadeiros, simples e fiéis viviam na maravilhosa Criação...

Enquanto a luz límpida do amor ainda achava caminho para chegar aos espíritos humanos, todos eram felizes, e abençoadas eram suas atividades. Ricos e abençoados eram também os presentes com que se alegravam mutuamente. Esses presentes de valores inestimáveis, chamavam-se: — "Confiança, sinceridade, verdadeiro amor pelo próximo, amor abnegado..." Contudo, isso já há muito, muito tempo!...

A história da humanidade, conhecida hoje e ensinada nas escolas, descreve na realidade apenas o último capítulo do longo tempo do desenvolvimento humano. O último capítulo anterior ao Juízo!

Os povos conhecidos pela história nos últimos sete mil anos sucumbiram todos eles devido à decadência, à crença errada e às suas hostilidades mútuas.

O que ocorreu antes desse capítulo, antecedendo esses últimos sete mil anos da tragédia humana, não é ainda do conhecimento dos historiadores. Têm encontrado apenas vestígios de idolatria, de poder terreno e de riqueza terrena. As festas que existiam em louvor ao amor divino e em honra da pureza divina desapareceram sob os escombros das idolatrias...

As festividades continuaram, sim, celebradas nas mesmas datas, mas já totalmente destituídas de todo o sentido mais profundo...

Quando Jesus veio à Terra, a maioria dos seres humanos já se achava sob a influência de poderosos servidores de Lúcifer. O assassínio bárbaro do Filho de Deus foi a melhor prova disto!...

A doutrina de Jesus, que a muitos poderia ter trazido salvação e libertação, fora tão falsificada, que da missão do Salvador, propriamente, nada mais restou...

Natal, a "Sagrada Noite", festejado anualmente em memória do nascimento de Jesus, tornou-se nos dias atuais uma comemoração material grosseira, despida de amor. As preces recitadas monotonamente são vazias e os pedidos também nada mais são do que exigências egoísticas de uma humanidade aprisionada a uma crença errada!

De uma humanidade que já desde muito perdeu o paraíso!

Mas no tecer da Criação nada se alterou. Igualmente aos primórdios do desenvolvimento da humanidade, fluem anualmente, na época que os cristãos denominam Natal, irradiações auxiliadoras do amor de Deus, para os mundos da Criação posterior!

Essas irradiações milagrosas apenas ainda são assimiladas alegremente pelos povos enteais, pois os seres humanos, eles próprios, excluíram-se delas... Apesar de todo o amor e cuidados da luz, ainda assim apagou-se a chama de seus espíritos! E não existe força alguma no Universo que possa redespertá-los para a vida!...

Os Povos Ligados à luz

Voltemos agora para algumas descrições das festividades que outrora eram celebradas em louvor ao "amor celeste".

Havia povos que permaneciam por mais tempo ligados à luz e à natureza que os demais. Entre esses estavam os sumerianos que viveram na época pré-babilônica, uma parte dos povos incas e igualmente no Brasil de hoje e no Paraguai viveram até a era do cristianismo habitantes com aquelas ligações.

Agora, já há muito se extinguiram.

No Sião de hoje, chamado também Tailândia, vivia um povo igualmente ligado à luz e aos seres da natureza, que combateu, por mais tempo que outros povos, as correntezas das trevas. Uma parte dos germanos bem como dos celtas também se conservaram puros em sua fé e em seus costumes até a era cristã! O elemento corrompedor somente apareceu com os missionários cristãos em seus países... Também em outras regiões da Terra havia menores agrupamentos populacionais que conservaram um saber puro até a era cristã.

Os sumerianos e parte dos incas tinham muitos costumes em comum, apesar de viverem em locais tão distantes entre si. Seus templos eram baixos e construídos de madeira. Entalhes artísticos ornavam as paredes internas e externas. Apenas os pedestais, que se encontravam no grande recinto do templo, eram de pedra, ornamentados com ouro e pedras preciosas. Nesses pedestais ardiam fogos eternos em incensórios de cobre, de prata ou de pedra.

Todos os povos daquelas épocas amavam os enteais! Mas o Sol e seu regente desfrutavam de uma situação preferencial. Através do Sol recebiam todos os elementos vitais de que o planeta Terra e eles próprios necessitavam. Viam naquele astro um reflexo do amor de seu Criador, ofertando-lhes luz e calor, e proporcionando beleza às suas existências terrenas!

As festividades anuais do Sol que os incas e os sumerianos celebravam durante vários dias, iniciavam-se sempre louvando o amor de Deus, ao qual todos deviam as suas existências.

As preleções proferidas pelos respectivos sacerdotes eram curtas, pois enquanto o raciocínio não predominava nos seres humanos, não eram necessárias muitas palavras para a compreensão mútua. As palavras que seguem transmitem o sentido daquelas breves alocuções:

"Toda a luz dos mundos tem sua origem no onipotente amor de Deus, nosso Criador! Longe, muito longe é onde reina o amor celeste! Nunca nós, seres humanos, que somos os menores na espécie, veremos o semblante do amor celeste! Vemos, porém, o Sol com seu irradiante regente. A luz do sol é um reflexo do amor celeste! Vivemos e respiramos neste reflexo! Permaneçamos dignos para que a luz do amor jamais nos abandone!"

Assim ou de forma aproximada soavam as preleções, sempre porém com o mesmo elevado sentido. O modo de expressão de ambos os povos era naturalmente diferente, como também o desenrolar das festividades era diverso. Assim, por exemplo, vários sacerdotes dos sumerianos esclareciam a festa do Sol com outra definição. Diziam que todos os sóis, os terrenamente visíveis ou os celestes invisíveis, seriam pequenas irradiações de um gigantesco e poderosíssimo Sol que paira em alturas máximas num oceano de luz áurea. Esse grandioso Sol seria o coração do amor de Deus no Universo... As palavras eram diferentes, o sentido, no entanto, o mesmo...

Os dias da festa do Sol eram de alegria jubilosa! Cantavam-se hinos de gratidão e novas músicas eram apresentadas em instrumentos diversos. Havia cirandas infantis e jogos dos quais participavam crianças e adultos.

Também os respectivos sumo-sacerdotes dos Templos do Sol contavam em imagens vivas um ou outro acontecimento ocorrido nos mundos superiores ou entre os enteais. Enriqueciam assim a sabedoria do povo.

Os sumerianos plantavam e presenteavam-se com rosas no decorrer das festividades. Seus Templos do Sol muitas vezes ficavam totalmente cobertos por roseiras vicejantes. Eram rosas de espécies grandes, brancas e vermelhas, e de exuberante perfume.

Essas duas qualidades de roseira eram cultivadas em toda a Ásia Central, já há muitos milênios antes da época de Cristo.

Eram nativas de lá. Na Europa as roseiras somente chegaram quando trazidas pelos guerreiros cruzados cristãos no retorno do Oriente... (...)

As Comemorações dos Romanos

Também os romanos comemoravam, anualmente, em 25 de dezembro, a solenidade do Sol. Contudo, suas festividades do Sol se dirigiam apenas ao "deus do Sol". Não tinham mais senso para algum saber superior. A festa do Sol, romana, já muito antes da era cristã havia se tornado uma espécie de idolatria. Realizavam solenidades de culto que degeneravam em orgias e que não tinham qualquer relação com o regente enteal do Sol...

"Sol invictus", o Sol invencível, diziam os romanos quando se referiam ao Sol.

O imperador Aureliano, porém, pensava de modo diverso. Ele introduziu em Roma o babilônio "Bel"* , como deus do império. Com isso, designava Bel como regente do invencível Sol. Isto ocorreu no dia 25 de dezembro do ano 273 depois de Cristo.

Bel ou Baal significa "senhor". Com essa expressão denominava-se o primeiro e mais forte servo de Lúcifer, que no início do último capítulo da história da humanidade aproximava-se da Terra, para ainda antes do Juízo envenenar aquela parte sadia da humanidade, que não se entregara às crenças errôneas e cultos de idolatria.

Baal detestava os enteais, sobre os quais não exercia nenhum poder. Mas o seu ódio maior destinava-se ao regente do Sol por todos querido. Sabia que nos astros solares vieram a se efetivar irradiações divino-enteais de amor, trazendo em si vida e calor...

Essas irradiações atingiam Bel dolorosamente! Pois atuava na vontade de Lúcifer, seu amo, o inimigo e adversário do amor de Deus, sendo conseqüentemente também hostil à luz e ao amor!

Por toda a parte Bel empurrava Apolo, o regente do Sol, colocando-se indevidamente em seu lugar. No Egito chamava-se "Rê" ou "Ra", sugestionando as sacerdotisas e faraós. Na Grécia aparecia aos videntes como "Hélios", "o deus do Sol", exercendo uma nefasta influência. Sob o seu incentivo, as festas do Sol já não eram mais celebradas em louvor ao amor celeste, e sim em honra dele e de sua igual espécie!...

Esse servo luciferiano atuava com seus auxiliares partindo de uma parte mais fina da matéria grosseira, de uma camada que se situa entre a matéria grosseira pesada e a matéria grosseira mediana. Assim achava-se em ligação direta com a Terra.

Seu influxo concentrava-se principalmente sobre as mulheres terrestres, sem que para isso se esforçasse muito. Elas vinham ao seu encontro, em meio do caminho! Em conseqüência, desencadearam-se a decadência moral, a divulgação de crenças erradas e cultos de idolatria com todas as suas contingências colaterais. As mulheres, e através delas os homens, desligaram-se de tudo o que trazia verdade em si... Tornaram-se infiéis à luz, perdendo assim a ligação com as puras irradiações do amor das luminosas planícies espirituais... A mulher terrena de hoje é o resultado de sua decadência espiritual que se iniciou há muitos milênios...

A Festa das Doze Noites Sagradas

Também os povos germanos e os que viviam outrora na atual Escandinávia celebravam anualmente, aproximadamente na época natalina de hoje, "a festa das doze noites sagradas", ou também "a festa da chegada do amor".

Os seres humanos desse tempo de outrora diziam que no transcorrer das doze noites sagradas desciam "fitas do céu", cada ano de novo, unindo entre si todas as criaturas visíveis bem como as invisíveis...

Essa festividade era celebrada de modo todo especial. Durante todo o seu desenrolar, uma contínua e intensa chama tinha que permanecer acesa diuturnamente na lareira, e diariamente, ao anoitecer, acendia-se uma fogueira ao lado da entrada da casa, que deveria arder até o sol nascer. Esse fogo tinha um duplo sentido. Primeiramente deveria iluminar o caminho que conduzia para a casa e paralelamente seria o sinal visível do amor e calor que unia os moradores dessa casa; com o mesmo amor também seriam recebidos os hóspedes.

No período dessas festividades, doze dias e noites, as portas das moradas permaneciam abertas. Na sala principal da casa achava-se uma mesa ricamente posta. Os alimentos ali colocados consistiam principalmente em dádivas da natureza das respectivas regiões. Frutas frescas e secas, nozes, mel, ovos, sal e grãos de cereais, bem como dois cântaros, um contendo água e outro vinho de mel ou outros vinhos, colocavam-se na mesa convidativamente...

Em outra mesa ao lado e algo menor eram expostos tecidos feitos a mão e vestidos novos, tudo disposto de tal forma, que cada um poderia apreciá-los minuciosamente. Todas as moradas, pequenas e grandes, eram festivamente enfeitadas com galhos e grinaldas verdes.

Durante o dia havia jogos e cantos em que geralmente participavam cantores peregrinos que com suas canções significativas enalteciam a importância da festa.

Os sacerdotes cantavam, de manhã e ao anoitecer, hinos de agradecimento ao Criador que ofertara a vida a todos eles. Vivências e sonhos eram relatados mutuamente. As experiências vivenciais, na maioria das vezes, referiam-se a ocorrências com os enteais... Naquelas épocas, havia ainda muitas pessoas que podiam ver os pequenos e os grandes enteais... Muitas outras coisas existiam então para serem citadas e que se podiam ver em consonância com aqueles dias solenes santificados pelos seres humanos... Mas, o interessante para nós é saber o que ocorria naquelas doze noites e para quem eram destinados os presentes das mesas ricamente postas... Todas as noites era renovada a água dos cântaros, mas nos alimentos ninguém tocava...

Quando a fogueira era acesa ao anoitecer, ao lado das portas, os habitantes da morada reuniam-se na sala onde se encontravam as mesas com os presentes ou oferendas e sentavam-se comodamente com as crianças no colo. Esperavam então os visitantes que reinavam nos domínios da natureza e embora muitos desses regentes fossem tão pequenos como os gnomos das raízes, em nada alterava a recepção. As fitas descendo do céu uniam em amor os seres humanos com os pequenos e grandes regentes da natureza...

E os visitantes vinham: gnomos, fadas silvestres, laren e miren e ainda tantos outros entravam nas habitações humanas nas doze noites sagradas, para alegria de seus moradores que, com amor, deles se lembraram. Os entes do ar sibilavam e assobiavam em torno das casas, para comunicar aos seres humanos que também haviam chegado. Faunos tocavam flautas pelos quintais, jardins e estábulos. Muitas vezes vinham também os koren colocando maçãs aurivermelhas nas mesas dos presentes, e quando esses chegavam, as criaturas humanas ficavam sabendo que a grande mãe da Terra, Gäa, andava inspecionando as povoações humanas...

Silenciosos, mas escutando atentamente, os habitantes das casas observavam as mesas de presentes e as entradas das casas. Entre eles quase sempre havia uma moça, mulher ou então uma criança, que nitidamente podia ver os visitantes. Reproduziam então, narrando baixinho, tudo aquilo que acontecia.

Ainda que a maioria dos moradores não pudesse ver os enteais, sentiam intuitivamente de modo intenso as suas presenças. Rodopiantes correntes de ar faziam-se sentir nas casas, odores aromáticos, tinir de inúmeros sininhos e o tocar de flautas dos faunos eram infalíveis evidências dos visitantes invisíveis...

Os visitantes enteais atravessavam as casas, fitando com riso alegre os produtos da natureza nas mesas ricamente postas. Deixavam correr os grãos de cereais através de suas mãos e, por vezes, os gnomos menores pulavam nas mesas rolando os ovos travessamente para lá e para cá... As miren olhavam e tateavam os trabalhos de tecedura expostos, meneando suas cabeças com alegria e contentamento. Tratava-se de entes femininos de um metro e meio de altura, vestidos de verde e que em tempos remotos ensinaram as mulheres humanas a tecer. Cada ano, novamente, regozijavam-se ao verificar que suas alunas humanas do passado haviam progredido além das expectativas.

Cada um desses invisíveis visitantes trazia uma oferenda, colocando-a nas mesas ricamente arrumadas. Esses presentes consistiam de flores raras, plantas, ervas aromáticas, frutas, bonitas pedras e tantos outros... Poderiam trazer ainda grãos de "metal do Sol"...** Porém, desde que souberam que em outras regiões da Terra o metal áureo havia transformado os seres humanos em criaturas brutais e ávidas, precaviam-se de oferecer esses belos, contudo perigosos, grãos, como presente... pois todos aqueles presentes colocados pelos visitantes enteais, naquelas mesas postas suntuosamente pelos seres humanos, durante as doze noites sagradas, seriam por eles descobertos no decorrer do ano.

Em suas excursões ou passeios, os seres humanos encontravam repentinamente raras flores, plantas aromáticas e ervas terapêuticas. Deparavam igualmente com depósitos de bonitas pedras e minérios em regiões onde nunca haviam presumido que existissem... Resumindo, descobriam, de uma ou de outra maneira, todos os presentes que os enteais lhes haviam proporcionado nas doze noites sagradas.

À meia-noite o circular dos visitantes invisíveis terminava e os moradores das casas iam dormir, exceto os guardas das fogueiras.

As crianças há muito já dormiam nos braços dos seus pais. Contudo, seus corpos de matéria fina, isto é, suas alminhas desprendidas durante o sono de seus corpos de matéria grosseira, levadamente saltavam ao redor dos gnomos, fadas dos bosques, faunos e os demais, acompanhando-os para ficarem mais tempo brincando junto deles...

Rompeu-se a Ligação

Depois, porém, veio a época em que muitos membros desses povos também não mais podiam ser ligados com "as fitas celestes do amor"...

Com a consciência pesada e receosas, muitas pessoas quedavam-se sentadas, em suas casas, durante as doze noites sagradas, esperando com receio a chegada dos visitantes invisíveis... Chegariam?!... As mesas eram ricamente postas, as casas festivamente enfeitadas... externamente tudo era como sempre fora...

Os seres humanos irrequietos, temerosos e com a consciência pesada, aguardavam pelos visitantes de cada ano... mas a espera era quase sempre em vão... Os visitantes nunca mais retornaram... Não podiam vir, pois as horríveis figuras e formas agarradas às criaturas humanas, em especial às mulheres, afugentavam-nos a todos...

Os enteais, sem exceção, temem as formas de inveja, de ciúmes, de avidez e de todos os demais males correlatos que têm a aparência de seres humanos. Fugiam, pois, apavorados, já que de início não concebiam de onde se originavam essas horrendas configurações e por que elas se agarravam às mulheres humanas...

Por toda a parte e entre todos os seres humanos, pouco a pouco, interrompia-se o equilíbrio harmonioso entre o raciocínio e o espírito. O raciocínio ganhara a supremacia e assim o ser humano tornara-se acessível a todas as influências das trevas. À frente de todos: a mulher!...

Assim como em sentido bom ela recebe e sente intuitivamente as irradiações da luz de modo mais intenso, assim também se entregava, no sentido oposto, mais livremente às correntezas negativas que impelem a humanidade inteira para o descalabro.

Romperam-se as fitas celestes do amor que outrora tinham unido as criaturas entre si. A ligação com os mundos enteais cessava de existir.

O ser humano tornava-se "civilizado" e assim sendo os enteais não mais tinham lugar na sua vida... Tornaram-se então figuras de contos de fadas, somente boas para as crianças. Aliás, hoje em dia bem poucas crianças se interessam por "contos de fadas", já que a maioria está ligada a espíritos que desde milênios portam em si o estigma de Lúcifer... (...)

A Festa de Natal

A festa de Natal, chamada também "Festa-Jul", é celebrada anualmente por muitas pessoas e ainda existem vários costumes que, apesar de sua desfiguração, convergem ainda para os tempos idos. Esses costumes, todavia, não podem ser descritos nesta pequena dissertação. "Jul" é uma palavra germana ainda usada na Escandinávia e parcialmente também ao norte da Alemanha.

O nascimento de Cristo somente foi celebrado pela primeira vez em Roma, num 25 de dezembro, quatrocentos anos após sua morte e depois de muitos obstáculos.

Os organizadores católicos romanos juntaram a festa realizada pelos romanos, na mesma data, cognominada "Sol invictus", ao nascimento de Cristo, transferindo inclusive o simbolismo daquela festa... A "festividade pagã do Sol" extinguiu-se com isso... e as comemorações do Natal cristão assim se iniciaram...

A árvore de Natal com as velas acesas surgiu somente por volta do ano 1.600 na Alemanha. Utilizavam-se pequenos buxos em cujas pontas se colocavam velas. As pequenas árvores de buxos, enfeitadas apenas com velas, significavam simbolicamente que em uma noite sagrada viera a luz para a Terra... Mais tarde utilizaram-se de árvores maiores, tipo pinheiro, com a mesma finalidade. Contudo, durante longo tempo as velas continuaram como único enfeite das "árvores de Natal".

Nas árvores de Natal excessivamente enfeitadas de hoje já nada mais indica que numa noite se acendera uma luz na Terra pelo nascimento de Jesus.

No que diz respeito à troca de presentes, pode tratar-se de uma recordação inconsciente das mesas ricamente postas de tempos longínquos, nas quais eram colocados os presentes destinados aos visitantes enteais. E, também, um relembrar das oferendas colocadas em recíproca pelos visitantes, nas mesas para isso destinadas...

Os espíritos humanos permaneceram os mesmos. Muitos daqueles que viviam felizes, na Terra, naqueles tempos, hoje estão aqui novamente reencarnados. Nesse ínterim, apenas se desenvolveram em direção errada, de modo que as recordações também só podem ser falhas e deformadas.

Para concluir e rematar todas essas considerações, nada mais aconselhável que as palavras da Mensagem do Graal, Volume III, dissertação "Natal":

"Quem dentre os fiéis, aliás, já pressentiu a grandeza de Deus, que se patenteia no acontecimento, ocorrido serenamente naquela noite sagrada, através do nascimento do Filho de Deus. Quem pressente a graça que com isso foi outorgada à Terra, como um presente! Se houvesse um mínimo pressentimento da realidade, aconteceria com todos os seres humanos, como com os pastores; sim, não poderia ser diferente, ante tamanha grandeza: cairiam imediatamente de joelhos... por medo! Pois no pressentir teria de surgir primeiramente o medo, de modo intenso, e prostrar o ser humano, porque com o pressentimento de Deus evidencia-se também a grande culpa com que o ser humano se sobrecarregou na Terra, só na maneira indiferente com que toma para si as graças de Deus e nada faz para servir realmente a Deus!"

* Baal
** Ouro.

O SOL MORRE

As manchas solares, desde anos, sinalizam a notícia para o cosmo de que as condições na gigantesca estrela solar se alteram.

A estrutura física do nosso Sol chegou ao seu ponto crítico!...

Os astrônomos e astrofísicos chegaram há muito ao reconhecimento de que no Universo, apesar das inimagináveis dimensões, nada é infinito e nada ilimitado. O espaço do Universo se expande, sim, visto que continuamente nova matéria, isto é, novos corpos celestes se formam, não obstante sempre persistir um limite.

Também a duração de vida de cada estrela é limitada. Onde houve um início também terá que haver um fim, de acordo com a lei. Dentro da matéria nada é eterno!

Cada um dos bilhões de Sóis e cada um dos planetas chega a um ponto para ele previsto, onde se inicia seu estado final. Nosso Sol, pois, chegou a esse ponto final!

Os astrofísicos calculam que o Sol tenha quatro bilhões de anos; um longo período no conceito humano...

É chegado, portanto, agora, o ponto de transição, não somente para os seres humanos, mas também para o Sol e a Terra...

O fato de a humanidade achar-se em um ponto de transição, não mais pode ser ocultado. Em um ponto de transição, com conseqüências catastróficas... Não obstante todo o progresso técnico, o ser humano vagueia num mar de horrores, envolto por formas de medo...

E o Sol? Nosso maravilhoso e tão querido Sol morre! As manchas solares, desde anos, sinalizam a notícia para o cosmo de que as condições na gigantesca estrela solar se alteram.

O Sol é uma “estrela fixa” constituída de gases incandescentes, de tamanho inimaginável. Milhares e milhares de planetas como a Terra seriam necessários para preencher seu volume.

As manchas escuras que aparecem no Sol são designadas pelos perscrutadores dos astros, de “fenômenos misteriosos”. Poderiam observar desde já que as manchas solares constituem funis gigantescos no meio dos campos de energia magnética. Esses funis são preenchidos por elementos agitados e em turbilhão, lançados depois para cima como gases incandescentes, a uma altura de muitos milhares de quilômetros. Foram observadas erupções solares que possuem o poder de “um bilhão de bombas de hidrogênio”. O físico e detentor do prêmio Nobel, H. A. Bethe, diz com razão que o Sol é na realidade uma gigantesca bomba de hidrogênio... sendo esta, aliás, muito bem regulada...

No que se refere à assustadora e imensa perda de energia, os astrofísicos crêem ter achado a solução do enigma. Existem cálculos de que no interior do corpo solar e das estrelas fixas em geral transforma-se continuamente hidrogênio em hélio, dispondo o Sol, por conseguinte, de fantásticas reservas de energia.
Com isso, no entanto, ainda está longe o esclarecimento “do fenômeno misterioso” das erupções solares... A expressão “fenômeno misterioso” ainda hoje é usada nos círculos científicos...

Os astrônomos podiam aprender muito, por meio dos novos e grandes telescópios. Já se “supõe” que deva haver em alguma parte do Universo, “uma direção central do movimento orbital de todos os corpos siderais”... Com tal “suposição ou conjetura” aproximam-se deveras da verdade. Poderiam hoje saber muito e muito mais, se não rejeitassem sempre sua intuição,* por não poderem analisá-la cientificamente... O conhecimento do raciocínio, sozinho, sempre permanecerá estreitamente delimitado...

Existem também entre os astrofísicos e outros perscrutadores de astros, alguns poucos dentre os quais o raciocínio não atua de modo estorvante... São esses que, com temor no coração, observam as gigantescas erupções no Sol, pois sabem que este já é muito velho e que há muito já ultrapassou seu ponto máximo...

(...)
O Novo Sol

Um Sol fornecendo luz e calor para toda uma família de planetas, não pode assim sem mais nem menos explodir, sem que um outro Sol mais forte já esteja nas proximidades! Atos arbitrários não existem na Criação! Também o apagar ou o desintegrar de um corpo sideral pode somente realizar-se de acordo com um plano de tempo predeterminado na lei da natureza.

Com a expressão “próximo” usada aqui em relação aos astros, entende-se sempre uma “proximidade astronômica”... Nenhuma estrela está próxima da outra. Os astrônomos com seus gigantescos telescópios denominam o espaço sideral de “deserto vazio”, visto as distâncias entre os astros serem enormes. Visto da Terra tudo parece completamente diferente. A “via-láctea” parece-se com uma aglomeração de estrelas situadas todas “próximas” umas das outras. Contudo, tal aparência ilude. As distâncias entre elas contam-se por anos-luz.

Na bem organizada “direção central dos movimentos orbitais dos corpos celestes” ocorrem “raros fenômenos naturais”, em intervalos de milhões de anos!... Um tal fenômeno da natureza ocorrerá agora no século do Juízo! Dois Sóis encontrar-se-ão. Melhor dito, já se encontraram!

Enquanto a esfera de gás incandescente do nosso velho Sol se apaga sob indescritíveis erupções, o novo e maior Sol já se movimenta para sua nova localização, para então, quando chegar o momento, manter toda a família de planetas conforme a lei de gravitação...

O processo acima descrito não pôde ainda ser observado por meio de telescópios, conseqüentemente os astrônomos nem cogitam de tal possibilidade... Cogitam, sim, de uma catástrofe solar e da Terra, mas não na atualidade. Dizem que um Sol com a idade de quatro bilhões de anos e possuidor de tantas “reservas fantásticas de energia” ainda continuará vivo...

Por outro lado existem alguns astrônomos que, baseando-se em especiais métodos de pesquisas e cálculos, falam há anos de uma intensa fonte de luz, cujas irradiações atuam sobre nosso Sol, provocando nele as explosões. Inicialmente pensavam eles em um cometa. Tal suposição, porém, não pôde ser mantida, em vista do tamanho de nosso Sol... O diâmetro do Sol supera o da Terra por cento e nove vezes... Mesmo o maior cometa não poderia exercer influência sobre as incandescentes massas gasosas de um colossal astro solar...

Igualmente, um poderoso cometa já se acha nas “proximidades”, não sendo ainda reconhecível. Sob suas irradiações e influência, a Terra inteira estremecerá e seu aspecto modificar-se-á pela derradeira vez.
As Conseqüências Sobre a Terra

Falaremos agora da Terra.

Os inúmeros movimentos tectônicos da crosta terrestre e os muitos outros abalos sísmicos constituem “sinais” de que também no interior do planeta Terra se processa algo fora do comum! Durante os últimos tempos foram registrados 80.000 abalos sísmicos anualmente! A maioria não causou muitos danos, mas o fato em si, da Terra estar tremendo praticamente sem parar, não indica nada de bom... De qualquer forma, não indica nada de bom para os seres humanos...

Há poucos dias (estamos agora em abril de 1969), os entendidos das Nações Unidas mandaram publicar pela imprensa a notícia alarmante de que de agora em diante, a qualquer momento, poderá ocorrer um fenômeno sísmico no qual poderão perecer até um milhão de pessoas...

Apesar de todos os abalos e transformações, o fim da Terra ainda não chegou. Contudo, ela será lançada para fora de sua órbita no momento em que as alterações físicas processadas no interior do Sol se efetivarem e a força de atração diminuir...

Tão logo a atração do Sol diminua, a Terra automaticamente será afastada de sua “delimitação distancial crítica”. Com outras palavras, será lançada para fora de sua atual órbita... Os limites de distância entre os astros estão ancorados nas leis da natureza. Qualquer desvio destes põe em perigo a estabilidade dos respectivos astros, visto seu ritmo sair do equilíbrio.

Essas “delimitações distanciais críticas” necessárias foram descobertas e calculadas primeiramente pelo matemático “Roche”. São denominadas por isso de “limitações de Roche”!...

Um corpo sideral deixando os limites críticos, corre o perigo de ser dilacerado!

A Terra não será dilacerada. Será atraída pelo novo Sol, como que por um ímã, e conduzida para sua nova órbita... Será um raríssimo acontecimento natural que se tornará possível no Juízo, pelos efeitos conjuntos de muitos fatores. Quando se realizar tal ocorrência, a Terra terá se libertado do fardo de um bilhão ou mais de seres humanos... Um bilhão de pessoas a menos... só isto bastaria para lançar nosso planeta para fora de sua órbita!...

Quando a Terra deixar sua órbita antiga, reinará escuridão aqui durante vários dias... Será noite no planeta maculado pelos seres humanos... Uma longa noite cósmica!...

Indico aqui um tópico da Mensagem do Graal, dissertação “O Mundo”, Volume 1. Ali está escrito textualmente:

“A Terra está chegando agora ao ponto em que se afastará da órbita seguida até então, fenômeno este que se fará sentir fortemente também na matéria grosseira. Então se estabelecerá cada vez mais intensamente a separação entre todos os seres humanos, separação esta que já foi preparada nos últimos tempos, pronunciando-se por enquanto apenas em ‘opiniões e convicções’.

Por esta razão cada hora da existência terrena se torna mais preciosa do que nunca.”

Essas palavras da Mensagem do Graal contêm uma advertência, uma exortação, mas também... uma promessa... Ditoso aquele que for digno da graça de Deus!

No tempo vindouro, o ser humano ficará à mercê das forças da natureza, das quais não estará à altura e das quais também não poderá fugir... Somente aquelas pessoas que tenham mudado espiritualmente para melhor, poderão ser protegidas dessas forças... Para tais pessoas a graça de Deus será certa!

* Voz interior.

"A escolha é livre. Mas as conseqüências da resolução são decisivas e imutáveis!"
NA LUZ DA VERDADE, de Abdruschin, dissertação Uma Palavra Necessária, Vol. 1

HLC CERN ¿en que nos beneficia la máquina de Dios?



Maktub

Esta expressão vem do árabe e profere do particípio passado do verbo Ktab (escrever). MAKTUB significa em português “estava escrito”. Quando o árabe nos momentos de dor ou de angustia exclama “MAKTUB” não quer dizer com esta expressiva palavra um clamor de revolta contra o destino. Apenas é uma forma de reafirmar que seu espírito se acha conformado com os desígnios Inexplicáveis da vontade de Deus.

MAKTUB significa “tinha que acontecer”, “estava escrito”, “era pra ser assim”, significa que nada acontece por acaso, que tudo tem seu porquê, que não existem coincidência.

Mas será mesmo assim?
Por acaso acho que não. Acredito que quando muito temos a hora da morte decidida, porém todo o percurso que fazemos entre o primeiro e o ultimo ato de respirar, é da nossa inteira responsabilidade.

Os caminhos se cruzam: as pessoas podem dizer como está o tempo. Escute os conselhos, tome suas próprias decisões. Só você é responsável pelo caminho que lhe foi confiado.

A natureza segue suas próprias regras: desta maneira, você tem que estar preparado para súbitas mudanças do outono, o gelo escorregadio no inverno, as tentações das flores na primavera, a sede e as chuvas de verão. Em cada uma destas estações, aproveite o que há de melhor, e não reclame das suas características.

Faça do seu caminho um espelho de si mesmo: não se deixe de maneira nenhuma influenciar pela maneira como os outros cuidam de seus caminhos. Você tem sua alma para escutar, e os pássaros para contar o que sua alma está dizendo. Que suas histórias sejam belas e agradem tudo que está a sua volta. Sobretudo, que as histórias que sua alma conta durante a jornada sejam refletidas em cada segundo de percurso.

Ame seu caminho: sem isso, nada faz sentido.



DNA e Mudanças Celulares.

Estamos nos transformando em ÍNDIGOS

O Dr. Berrenda Fox fornece evidências de mudanças no DNA e nas células em seu artigo escrito por Patricia Resch. Dr. Fox provou, através de exames de sangue, que algumas pessoas têm realmente desenvolvido novas seqüências de DNA.

P.R.: Berrenda, conte-nos um pouco sobre sua experiência
B.F.: Eu sou doutorado em Fisiologia e Naturopatia. Durante meu treinamento na Europa, também estive envolvido com a mídia, e ainda continuo, em filmes e gerenciamento. Como você sabe, estou trabalhando com a Rede de Televisão Fox, a fim de trazer um pouco de entendimento sobre extraterrestres e seu papel no que está acontecendo com a humanidade no momento atual. Os mais conhecidos são "Sightings" e "Arquivo X".

P.R.: Quais são as mudanças que estão ocorrendo neste momento no planeta, e como nossos corpos têm sido afetados?
B.F.: Existem grandes mudanças, mutações que não ocorriam, de acordo com geneticistas, desde quando, supostamente, saímos da água. Há alguns anos atrás, na cidade do México, houve uma convenção de geneticistas de todo o mundo e o tópico principal foi a mudança no DNA Nós estamos fazendo uma mudança evolucionária, embora não saibamos em no que vamos nos transformar.

P.R.: Como está mudando o nosso DNA?
B.F.: Todas as pessoas têm uma hélice dupla de DNA. O que estamos descobrindo é que existem outras hélices que estão sendo formadas. Na hélice dupla, existem duas seqüências de DNA enroladas em uma espiral. Meu entendimento é o de que iremos desenvolver doze hélices. Durante este tempo, que parece ter começado talvez entre 5 e 20 anos atrás, temos sofrido uma mutação. Esta é a explicação científica. É uma mutação da nossa espécie em algo para o qual o resultado final ainda não é conhecido.

As mudanças não são conhecidas publicamente, porque a comunidade científica sente que isso iria amedrontar a população. De qualquer forma, as pessoas estão mudando a nível celular. Estou trabalhando atualmente com três crianças que possuem três hélices de DNA. (O livro Surfista de Zuvuya - José Arguelles fala sobre o os 3 filamentos de DNA).

A maioria das pessoas sabe e sente isso. Muitas religiões têm falado sobre a mudança e sabem que ela ocorrerá de diversas formas. Nós sabemos que é uma mutação positiva mesmo que fisicamente, mentalmente e emocionalmente possa ser mal compreendida e assustadora.

P.R.: Estas crianças estão demonstrando alguma característica diferente de outras crianças?
B.F.: Estas são crianças que podem mover objetos através da sala apenas se concentrando neles, ou podem preencher copos com água apenas ao olhá-los. Elas são telepatas. Você quase pode considerá-las como parte angélicas ou super-humanas, mas elas não são. Eu acho que elas são aquilo no qual estaremos nos tornando durante as próximas décadas.

P.R.: Você acha que isso ocorrerá com todos nós?
B.R.: Parece que a maioria das pessoas, começaram alguma coisa para a geração seguinte, dando a ela a capacidade de formar outra hélice durante seu tempo de vida. Nossos sistemas imunológico e endócrino, são a maior evidência destas mudanças. Esta é uma das razões pelas quais trabalho com pesquisas em testes imunológicos e terapia.

Alguns adultos os quais testei já têm outra hélice de DNA em formação. Alguns já estão em sua terceira hélice. Estas pessoas estão passando por uma série de mudanças em suas consciências e corpos físicos, porque estas duas coisas são na verdade uma só. Na minha opinião, a Terra e todos que aqui vivem, estão aumentando sua própria vibração.

Muitas das crianças nascidas recentemente têm seus corpos magneticamente mais brilhantes. Aqueles de nós que somos mais velhos, e que escolhemos mudar, temos que passar por diversas alterações físicas.

P.R.: O que provoca mudanças em corpos nascidos com as duas seqüências de DNA normais?
B.F.: A maneira mais fácil de mutação em nosso DNA é através dos vírus. Consequentemente, os vírus não são, necessariamente, maus. Os vírus vivem unicamente em tecidos vivos. Vírus de DNA como Epstein Barr e Herpes não alteram a estrutura celular. O retro virus HIV não é um vírus de DNA. Ao contrário de provocar mutações no corpo, na verdade, ele o devora.

A maioria das pessoas que passa por este processo, como que ressurgindo do outro lado, muda para uma nova profissão, uma nova forma de pensar, ou pelo menos, inicia um novo modo de viver. Embora elas possam se sentir doentes, cansadas, ou algumas vezes desesperançosas, isto é, na verdade, um dom. Foi dada a elas a chance de mudar sua estrutura de DNA e seu corpo para um corpo mais saudável e brilhante, que pode mantê-los na próxima geração. Os anjos que têm sido vistos, são sinais de que estamos mudando. Eu entendo que temos até aproximadamente o ano 2012 para completar este processo.

P.R.: Que outras mudanças podemos esperar?
B.F.: Não ocorrerão doenças, não precisaremos morrer. Seremos capazes de aprender nossas lições não através do sofrimento, mas através de prazer e amor.

O sistema antigo desmoronou e isso não poderia ocorrer sem uma grande luta. Então, vocês têm guerras, várias formas médicas de cura não estão funcionando, o governo não está agindo. Vários antigos paradigmas não podem mais existir, embora lutando para manter-se, mas não há dúvidas de que tudo está mudando.

Aqueles de nós que escolheram viver neste momento são precursores de quase praticamente uma nova espécie. É humana, embora estejamos ao mesmo tempo manifestando o paraíso na Terra. Estamos recebendo ajuda extra de mestres e extraterrestres, seres angélicos, e aprendendo a entrar em nosso íntimo. Quanto mais sejamos capazes de entrar e de ouvir aquela voz silenciosa interior, mais estaremos em sintonia com as mudanças que estão ocorrendo.

P.R.: Quais são alguns dos efeitos colaterais destas mudanças?
B.F.: Com uma mudança celular, você irá algumas vezes sentir como se você não estivesse aqui. Você pode se sentir exausto, porque nós estamos literalmente mudando células e nos tornando novos seres. Como um bebê, você pode necessitar de muito descanso. Podem ocorrer sintomas como confusão mental e não ser capaz de se concentrar em tarefas rotineiras, já que fomos programados para algo maior. São comuns sofrimento e dores no corpo para os quais não haja nenhuma causa específica.

Muitas pessoas sentem como se estivessem ficando loucas. Se estas pessoas forem a um consultório médico ortodoxo, é bem provável que sejam medicadas com Prozac, porque não saberão diagnosticá-las. É difícil para a profissão médica porque eles não estão habituados a lidar com o corpo energético. Porque os chacras estão relacionados ao nosso sistema endócrino, as mulheres passarão por mudanças hormonais. Poderão chorar sem saber porque, já que chorar libera hormônios. Muitas mulheres passarão pela menopausa mais cedo porque estamos acelerando.

Os homens poderão ficar muito frustrados com a exaustão já que estão tão acostumados em serem ativos. Podem sentir seu lado feminino aflorar porque este é o lado intuitivo. A terapia emocional que tem sido difundida nos últimos 20 a 30 anos vem se acelerando com novas técnicas para estas mudanças. Nós estamos atualmente realizando um grande trabalho emocional em um curto espaço de tempo que deveria, na verdade, levar milhares de anos.

P.R.: Como você trata uma pessoa que está passando por estas mudanças?
B.F.: Eu abordo o assunto pelo ponto de vista de trabalhar cada pessoa individualmente ao invés de tratar uma doença. "Doutor" em latim significa educador.

O único serviço efetivo que você pode realizar como um verdadeiro curador é o de fortalecê-las com as ferramentas necessárias e lhes reassegurar de que o que está acontecendo é real e de que elas podem se curar e se libertar dos sintomas "negativos" enquanto se curam. Primeiro, eu solicito um teste imunológico que não é realizado tradicionalmente. É um exame de sangue laboratorial realizado através de uma especialidade avançada de pesquisa em laboratório. Então, eu dou ao paciente as informações. É mais ou menos como um mapa das mudanças, para que eles tenham o poder da própria cura. Eu não sou o curador mas apenas um instrumento em seu processo de cura individual. Ocorre um processo em cada pessoa quando olha para seu próprio exame de sangue e que vê o seu mapa e o que está acontecendo em seu corpo, que causa algo como um clique no subconsciente. A verdadeira chave é a de que a pessoa toma a responsabilidade e faz o seu próprio trabalho.

O que eu uso como ferramentas não são comumente usadas. Eu uso várias Terapias Orgânicas, que são um tratamento glandular vindo da Europa, para preparar o sistema hormonal para aceitar as mudanças no DNA.

Também uso homeopatia para trabalhar no corpo energético, vitaminas, ervas e terapia a laser frio. A terapia depende inteiramente das necessidades individuais. Muito do que eu faço me foi passado por aqueles aos quais chamaria irmãs e irmãos mais velhos que se foram antes de nós.

Eles são de outros sistemas solares de onde todos nós viemos para ajudar a este planeta nesta transição.

P.R.: Como você prevê a evolução de seu trabalho?
B.F.: Eu encaro meu trabalho como uma ponte ou transição. Ele é tanto científico quanto artístico. Curar é uma arte e uma ciência.
Usar apenas a ciência ou apenas a arte não é suficiente para uma cura completa. Eu não acho que serei um curador durante toda a minha vida porque acredito que as doenças serão eliminadas. Nós, como pessoas conscientes, iremos eliminar as doenças e sofrimentos.

Evolução Espontânea - Bruce Lipton e Steve Bhaerman



Newton Milhomens

Os tipos de conhecimento acessíveis ao ser humano.

Por mais incrível que possa parecer e até causa muito espanto quando este fato é mencionado, a grande maioria da população não tem a mínima idéia de que só existem, na atualidade, apenas 4 (quatro) únicas maneiras do Ser Humano conseguir adquirir conhecimentos do mundo que o cerca e da própria Vida. Talvez, ainda por muito tempo mais, essas quatro maneiras continuarão sendo as únicas possíveis.

Essas quatro maneiras de obtenção de conhecimento são:

1 - Conhecimento Filosófico ou, simplesmente, Filosofia.
2 - Conhecimento Científico ou, simplesmente, Ciência.
3 - Conhecimento Artístico ou, simplesmente, Arte.
4 - Conhecimento Místico ou, simplesmente, Misticismo.

Vamos, então, apenas conceituar cada um desses tipos de conhecimento, sem maiores aprofundamentos, sem maiores comentários, para maior facilidade didática.

1 - FILOSOFIA

Conhecimento Humano baseado na Lógica e na Dedução, através do Raciocínio Ordenado, buscando explicar os fenômenos e fatos relativos ao Universo e ao próprio Ser Humano, procurando conhecer-lhe as Causas - Primeiras, Intermediárias e Últimas. Deve-se ter muito cuidado com o Conhecimento Filosófico, pois o Raciocínio Ordenado, ainda mesmo que debaixo de rígida disciplina, é elaborado por um Ser Humano, sujeito às injunções sócio-histórico-culturais do ambiente e da época em que esse Ser Humano viveu, ou está vivendo. Comece, desde agora, a se conscientizar com esta grande Verdade Filosófica, tão velha quanto a própria Filosofia:
Nenhum conceito filosófico, qualquer que seja, por melhor, mais bonito e elegante que seja, será válido, ou durará, para sempre. Somente será válido enquanto não surgir um outro conceito filosófico melhor, mais completo e/ou mais abrangente, ou, então, enquanto não ocorrer algum acontecimento que venha demonstrar sua invalidade. E isso sempre acontece, mais cedo ou mais tarde. É uma Lei da Vida...”

2 - CIÊNCIA

Conhecimento Humano baseado na Experimentação Objetiva, na Medição, no Método e no Paradigma Cartesiano, buscando sempre uma explicação racional e o controle dos fatos e fenômenos relacionados com os Seres Orgânicos, Inorgânicos e com o próprio Universo, de maneira detalhada, geral e objetiva. Como todo e qualquer tipo de Conhecimento, o Conhecimento Científico possui dois lados - um benéfico e outro maléfico. É inegável que a Ciência e a Tecnologia - sua associada (e dela derivada) - têm trazido para toda a Humanidade, enormes benefícios, nas mais diversas áreas. Por outro lado, é enorme a esteira de malefícios que a Ciência e a Tecnologia têm provocado, principalmente no que se refere ao Meio Ambiente e, por conseqüência, ao próprio Ser Humano. Na atualidade, a importância e a popularidade do Conhecimento Científico é tão grande que podemos afirmar categoricamente que País que não investe em Pesquisa Científica, nem em Pesquisa Tecnológica, é um sério candidato a perder sua autonomia - talvez até sua soberania - como país independente, e ficará subordinado -em todos os sentidos - àqueles que fizeram grandes investimentos nesta área do Conhecimento Humano. Podemos também dizer que sem Ciência, dificilmente haverá Progresso. Sobre a Metodologia Científica, existem diversos ótimos compêndios tratando detalhadamente do assunto e recomendo a todos que desejem se aprofundar mais sobre o assunto que os procurem, nas Livrarias.

3 - A ARTE

Conhecimento Humano baseado na emoção que o Artista sente ao observar a Natureza e a Vida, em geral, e na sua tentativa de transmiti-lo através dos vários processos existentes - ou ainda por existir - podendo haver, ainda, criação pura e simples, proveniente da imaginação do Artista, sem a mínima correlação com o que existe, na Realidade, na Natureza e na Vida. Para que uma Obra de Arte seja bem recebida pelo público, é necessário que o Artista possua talento, técnica, inspiração e imaginação. Como todos os outros tipos de Conhecimento, o Conhecimento Artístico é muito importante para o Ser Humano. Até para fazer guerras ou para pregar revoluções sangrentas a Arte (Música, Literatura, Pintura, Escultura, Teatro, Cinema, etc) já foi empregada e, por mais incrível que pareça, funcionou muito bem...

4 - O MISTICISMO

É o Conhecimento Humano do Universo, da Natureza e do próprio Ser Humano, obtido com a introspecção, meditação, observação e experimentação subjetiva (por si mesmo e através de si mesmo) dos fatos que ocorrem no Universo, na Natureza e no próprio Ser Humano, em nível físico, biológico, psíquico e espiritual. Este Conhecimento é obtido pelo Ser Humano por meio de práticas diversas de Meditação, de Introspecção, de Autodomínio e dos Estados Alterados da Consciência, ou EACs, ou ainda, Estados de Transe, como são mais popularmente conhecidos.

Como esta parte do presente trabalho tratará em certa profundidade do Conhecimento Místico, mais adiante, o assunto Misticismo será abordado em maior profundidade*

Link para a pasta de estudos Introdução Geral do Misticismo:
http://www.4shared.com/file/XMuNRvou/Introduo_geral_ao_MISTICISMO_-.html

Bibliografia de Newton Milhomens pela editora IBRASA
A MENTE - UMA ENERGIA CÓSMICA
ESOTERISMO, PARAPSICOLOGIA, PSICOLOGIA
VIDA, UNIVERSO E MENTE
O MISTICISMO À LUZ DA CIÊNCIA

O Prof. Newton Milhomens é citado pelo Prof. Konstantin Korotkov em discurso no Congresso Internacional de Bioeletrografia de 2008.

Rubens Saraceni

Quando comecei a receber a inspiração para escrever este livro (O Guardião da Meia Noite), preparei-me mentalmente, pois Pai Benedito havia me dito: “Vou historiar uma experiência fascinante de um velho amigo seu, que pagou o preço do desafio ás leis eternas do amor e da compreensão”.

Ninguém fica impune quando desafia a Lei e, em conseqüência, enquanto não purgar todo vício que o conduziu na afronta a Ela, não receberá outra coisa que não o tormento da fúria divina, que o perseguirá por quanto tempo for necessário, até que desperte do pesadelo que está adormecido o seu ser imortal.


É uma experiência que está sendo vivida neste instante por milhões de espíritos que não souberam controlar seus instintos mais viciados, e se deixaram se levar pelas falsas aparências das situações que, se vistas com amor e com respeito pelos semelhantes, o levariam ao sétimo céu. Mas, como não foi isto que aconteceu com o Barão, então contemos a fascinante história do Guardião da Meia-Noite.


Fascinante porque nos revela de modo humano, o estranho desenrolar da vida desse personagem que tinha tudo para ser uma vida tranqüila, mas que, infelizmente, pela forma como agiu, provocou seu tormento, mesmo depois de morto seu corpo carnal. O Guardião da Meia-Noite é o personagem real que mais coragem teve ao nos contar sua terrível história. Hoje ele é um dos melhores servidores da luz da Lei.


Mas como todos os romances, contos místicos e histórias de Pai Benedito de Aruanda tem por finalidade ensinar-nos algo, espero que esta narrativa possa trazer um pouco de esclarecimento sobre as coisas divinas que se encontram espalhadas nas frases, diálogos e situações vividas pelos personagens, todos humanos e em constante evolução, que povoam o desencadeamento dramático da história do Guardião da Meia-Noite. (RUBENS SARACENI)



Angela Keramidas (Angela Leiva - video music)

Para podermos incluir qualquer coisa em nossa vida, devemos em primeiro lugar agradecer por aquilo que já temos, não importa o que seja, não importa o valor, não importa se gostamos ou não, apenas devemos entender que o possuímos, está lá do nosso lado, mesmo que seja uma par de sapatos usado e velho, o que temos que compreender é que se não agradecemos o pouco ou muito que temos, a energia que direcionamos para o universo é a energia da falta, do descontentamento, talvez de vitima, e assim quantos e quantos sentimentos negativos enviamos para o Universo?

Até mesmo a dor que sentimos , pois é um aviso de algo que está acontecendo.Estamos acostumados a reclamar (contas,situações...) e sempre olhar para o lado e para os outros. Mas quando nos conscientizamos de nossa responsabilidade de que o que temos foi adquirido e atraído por nós e que mesmo assim o temos (mesmo sendo, pouco, velho, feio...), e passamos a agradecer cada coisa, cada pessoa e a cada situação, a todo o momento, o Universo entende sua felicidade sua tranqüilidade, seu momento de entrega, sua emoção positiva. Agradecer ás pessoas que te dão um sorriso na padaria, no mercado, agradecer pela sua conta bancaria, agradecer suas contas, de Luz, água, telefone (pois existem pessoas trabalhando para que você tenha isto) isto se chama compreensão . Pois mesmo aquele, que você nem sabe o nome, mas pega seu lixo, varre sua rua..., está fazendo seu trabalho e deixando tudo limpo para você.

A partir do momento que passamos a agradecer por tudo que temos entendemos que cada um tem sua responsabilidade e que estamos interligados uns aos outros, e que agradecendo, você terá cada vez mais e mais. Passamos o nosso dia a dia correndo sem ao menos pensar que cada um que encontramos esta de alguma forma ajudando ou até mesmo atrapalhando o nosso dia , mas sempre e qualquer coisa que aconteça está nos mostrando como devemos agir, portanto se agradecermos sempre e a todo o momento tudo que temos tudo que nos acontece todas as pessoas que encontramos, sempre conscientes de que os acontecimentos do nosso dia a dia são aprendizados e experiências para que possamos melhorar, transmutar e crescermos como seres humanos, sem duvida cada passo somente será para melhor.

Agradecendo pelo serviço dos outros, pois uns dependem dos outros de alguma forma, automaticamente mudamos tudo ao nosso redor, nada é independente estamos todos conectados.

Façam a gratidão, apliquem a gratidão, usem a gratidão e verão mudanças em suas vidas.

Auto julgamento - consciência

Todos esperam a ascensão, todos querem ir para a 5ª dimensão, aguardam ansiosos por 2012. Tudo está aqui agora não tem datas, as energias e as mudanças estão sendo dadas, nós escolhemos quando. E eu me pergunto o que fazemos para ascender, ou mudar de dimensão ou ir para o "paraíso" em 2012?

Enquanto nos auto-julgamos, julgamos a outros, carregamos nossos medos, enquanto somos guiados pelos padrões externos e coletivos, enquanto achamos que a Luz chegará a nós apenas porque lemos canalizações, fazemos visualizações. meditando e recitando mantras, entraremos na 5ª dimensão ou iremos ascensionar, nada acontecerá, apenas nos sentiremos cansados, frustrados e confusos.

O sistema de crenças que temos embutido dentro de nós é muito antigo. São várias crenças que nem ao menos sabemos quais são, simplesmente as carregamos no nosso dia a dia, repetindo e acreditado nelas sem nos perguntarmos à veracidade ou qual a função que elas tem em nossa vida. Passamos os dias nos comparando aos outros, achando que somos inadequados, pois nos julgamos e julgamos a tudo com os padrões alheios, padrões estes que pessoas apenas criaram para manipular, ter nas mãos o poder dos outros, não permitindo usarmos o livre arbítrio, colocando limitações, impondo condições de como devemos sentir, ser e fazer.

Com isto entregamos o nosso poder a todos , todos os dias, por nos acharmos incapazes, julgando e rotulando. Está atitude apenas acontece através do auto julgamento, pelo medo da inadequação, do que os outros vão pensar e falar sobre nós, sempre os outros, sejam pais, amigos, colegas, filhos, cônjuge etc...

Quando fazemos uma escolha de deixar ir o medo, à preocupação do que os outros vão falar ou achar, escolhendo conscientemente não entrarmos na freqüência do medo interior e coletivo, apenas simplesmente apenas com intenção real, acreditando que a escolha é nossa, nós podemos escolher o amor, a alegria, a abundância, a paz..., passamos a atrair a mesma freqüência. Sendo assim damos a permissão de recebermos as freqüências que estão sendo enviadas ao planeta para quem estiver alinhado, são estas as novas energias.

Como podemos recebê-las? Se estivermos sempre em sintonia com o medo, fazendo comparações do que é certo ou errado, bom ou ruim, luz e escuridão... enquanto acreditamos que os outros delegam e não acreditamos que tudo está dentro de nós, nos amando e acreditando no que sentimos tudo continuará igual.

Devemos sim acreditar e escolher com consciência e comprometimento, apesar de tudo que esteja acontecendo á nossa volta, escolher o amor sentir a vibração do amor, nada nem ninguém pode tirar o nosso poder, ficarmos em um espaço seguro o nosso espaço, com certeza estaremos integrando as novas energias, co-criando e trazendo mudanças em nossas vidas.

Ascender é apenas elevar a consciência, mudar os pensamentos, sair da vibração do medo, do auto-julgamento, da manipulação, não uma varinha mágica. Quando mudamos a nossa consciência, elevamos a nossa freqüência, quando mudamos o nosso corpo emocional, as nossas emoções, sabendo que tudo acontece porque deve acontecer que tem um motivo elevado para isto, aceitamos com tranqüilidade os acontecimentos e aprendemos a lidar com as situações com discernimento e aceitação. Fazendo a escolha de seguir o nosso coração, as nossas vontades, não devemos pensar se estamos certos ou errados, pois em toda escolha existe o ponto de vista individual de cada um, e cada um tem uma forma de agir, tratar, discernir e também tem crenças que são diferentes das nossas.

Apenas escolher mudar, apenas escolher ser feliz, não há erros, somente escolhas e estas podem ser re-escolhidas.

A escolha deve ser feita por nós mesmos, e não pelas expectativas, desejos, vontades ou necessidades dos outros, embora fazemos isto diariamente, sempre apoiados na necessidade do que achamos que deve ser feito e não no que realmente queremos. Quando tomamos consciência do agora, nos centrando, percebemos que as escolhas que fazemos estão baseadas em crenças da velha energia de manipulação, começamos a liberar, desbloquear deixando ir conscientemente tudo que não nos pertence mais, não é difícil, apenas uma escolha e está deve ser apenas nossa , nada que seja para agradar outros ou ser como outros querem.

Temos individualmente o compromisso de fazermos as nossas mudanças, liberarmos o que não queremos mais , sem entrarmos no medo. Se cada um de nós fizer as suas próprias mudanças tudo mudará ao seu redor.

O único obstáculo somos nós mesmos querendo agradar e ser reconhecido, fazendo tudo parecer bonito. Apenas escolher e respirar a energia do amor e da alegria.

Eu sou Angela Keramidas

WORKSHOP "Criando a Nova Consciência na Nova Terra"
http://www.momentosdeluz.com - email: angelakeramidas@gmail.com


Magia não é mágica.

É importante não confundir Magia com mágica ou truque, pois Magia se refere a um conjunto de teorias e práticas que tem por objetivo o desenvolvimento completo das faculdades espirituais e ocultas do ser humano. Tem características ritualísticas e cerimoniais que buscam entrar em contato com os aspectos superiores do Universo e da divindade.

Também se entende por Magia toda e qualquer arte ou ciência capaz de manipular o invisível a fim de causar efeitos no visível. A palavra Magia abre espaço para discussões e conceitos diversos, como bem e mal, por tratar de temas abrangentes e atos distintos, tais como rituais, simpatias, despachos, bruxaria, entre outros. Dois tipos de magia são discriminados pelos estudiosos de todas as épocas: a Alta Magia e a Baixa Magia, que não devem ser confundidas com magia negra ou magia branca, que se tratam de tipos de magia definidos pela intenção moral de quem as pratica.

Ordem dos Templários foi criada em 1118, na cidade de Jerusalém por nove cavaleiros de origem francesa liderados por Hugh de Payen, que se dirigiram ao rei de Jerusalém, Balduíno I, e anunciaram a intenção de fundar uma ordem militar, tendo como objetivo dar segurança aos peregrinos que transitavam entre a Europa e os territórios cristãos do Oriente e aos templos sagrados de Jerusalém. O nome completo da organização era Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão. Os membros tinham de fazer votos de pobreza pessoal, obediência e castidade. Nos séculos posteriores, a Ordem dos Templários tornou-se uma instituição de enorme poder político, militar e econômico. Porém, passou a sofrer sérias perseguições de Felipe IV, o Belo, rei da França. Ele devia terras e imensas somas em dinheiro aos Templários.

Assim, ordenou ao Papa Clemente V, a extinção dos Templários. Em 18 de março de 1314, Jacques de Molay, o Grão-Mestre da Ordem dos Templários foi levado à fogueira da Santa Inquisição às margens do Rio Sena, em Paris. Há uma lenda que diz que De Molay amaldiçoou o Papa Clemente V e o rei Felipe, dizendo que, se os Templários tivessem sido condenados injustamente, o Papa morreria em no máximo 40 dias e o Rei dentro de um ano. O Papa morreu 33 dias após a execução de De Molay e o rei em pouco mais de 6 meses.

A Umbanda nasceu em 15/11/1908, no Rio de Janeiro, por meio do médium Zélio Fernandino de Moraes, que recebeu uma manifestação do Cabloco das 7 Encruzilhadas, o qual afirmou que estava vindo naquele momento para oficializar uma nova religião que se chamaria Umbanda. O primeiro terreiro de Umbanda (templo) foi denominado "Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade”.

A Umbanda prega a simplicidade, o amor e a caridade. Crê no Deus único, criador de tudo e de todos, o divino Pai Olorum. Seus freqüentadores reverenciam divindades da natureza: os Orixás. Essa religião é composta também pelos guias espirituais, que se manifestam pela incorporação, o ato pelo qual o médium, conscientemente, permite que outros espíritos falem pelo seu corpo físico. Os guias possuem diversas origens, compostas por diversas linhas de trabalho, como Pretos-Velhos, Caboclos, Baianos, Boiadeiros, Êres.

Na parte física, a Umbanda é composta pelo Sacerdote de Umbanda, popularmente conhecido como pais e mães de santo; os médiuns, que são os responsáveis pela incorporação; os cambones, que prestam todo auxílio necessário ao guia quando ele está incorporado; os ogãs, que batem o atabaque (tambor) e cantam os pontos (músicas) durante as giras (cerimônias, sessões) e a assistência, que são as pessoas que vão aos templos (terreiros) em busca de auxílio espiritual.
A defumação é o elemento característico das giras, consiste na queima de ervas aromáticas, que se baseia no fundamento da limpeza do campo áurico energético das pessoas.

Existe a compreensão do trabalho dos Orixás na Umbanda em suas diversas Linhas. São estas as 7 Linhas de Umbanda: Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração. Os 14 orixás são classificados pela ordem das Linhas que trabalham:

Fé: Oxalá e Oiá
Amor: Oxum e Oxumaré
Conhecimento: Oxóssi e Obá
Justiça: Xangô e Egunitá
Lei: Ogum e Iansã
Evolução: Obaluaiê e Nanã Buroquê
Geração: Iemanjá e Omolu


Planeta Índigo da nova era.

Uma Geração de ponte com outras dimensões... no Planeta Índigo da Nova Era

Este livro pretende abrir caminhos para quem deseja entender e explorar as tendências da Nova Era, ampliando a sua relação não só com as chamadas Crianças Índigo, mas também com todas as outras que nasceram na Nova Energia, com uma nova vibração. A autora nos revela que as Crianças Índigo não são crianças especiais ou com sintomas diferentes das outras, elas apresentam apenas alguns comportamentos que revelam ser mais independentes e autônomas, e por isso, necessitam de uma atenção específica e uma nova abordagem na educação, com grande colaboração e dedicação dos novos educadores e pedagogos.

Não é a primeira vez que o planeta assiste à chegada de consciências que trazem características diferentes do habitual e que agitam as culturas estabelecidas e incitam uma transformação. As Crianças Índigo começaram a aparecer em maior número e com maior freqüência a partir da década de 1980, em geral são mais sensíveis que as outras crianças, possuem uma estrutura cerebral capaz de utilizar simultaneamente as potencialidades dos hemisférios direito e esquerdo, indo mais além da capacidade racional e intelectual, desenvolvendo melhor a criatividade e a capacidade de intuição. Estes e outros fatores podem levar àquilo que os professores e os médicos diagnosticam comumente como Síndrome de Déficit de Atenção e Hiperatividade, que não é mais do que a energia mal dirigida. Neste livro, pais, educadores, terapeutas, psicólogos, médicos e pedagogos encontrarão abordagens científicas e espirituais sobre o tema, principais características, formas de diagnóstico, indicações para uma nova abordagem pedagógica e educacional e aconselhamentos exemplificados de como perceber, educar e se relacionar da melhor maneira com as crianças que vêm justamente para nos ajudar a entender que vamos ter de mudar a cultura vigente para uma Nova Era.

A autora Tereza Guerra nasceu em Lisboa, em 9 de junho de 1952. É graduada em Filosofia, pela Universidade de Lisboa e Mestre em Ciências da Educação, pela Faculdade de Ciências de Lisboa, área na qual atua há mais de 25 anos. Fundou junto com Alain Aubry, a Fundação Casa Índigo, em Portugal, destinada ao estudo, esclarecimento e desenvolvimento de atividades com crianças índigo, crianças cristal, jovens índigo, jovens cristal e outros.
www.madras.com.br

CRIANÇAS INDIGO, CRIANÇAS CRISTAL e MUDANÇA DE DNA

Nesta noite eu vou falar sobre um tema fascinante! Nesta noite eu vou falar das Crianças das Estrelas: as Crianças Índigo e as Crianças Cristal. Estes seres fantásticos que estão chegando à Terra, cada vez mais e mais... encarnando em todos os países, em todas as raças, em todos os níveis sociais, nas aldeias mais distantes e nas cidades mais populosas e muito... muito possivelmente dentro da sua própria família, bem debaixo do seu nariz!

As Crianças Índigo são crianças fabulosas que estão encarnando aqui na Terra há bastante tempo, mas vinham poucas delas, até que depois da segunda guerra mundial começaram a vir em maior número e a partir da década de 70 então, começaram a chegar em ondas, cada vez mais e mais delas. Hoje, os dados são impressionantes! Pesquisadores americanos estimam que depois de 1995 oitenta e cinco por cento dos nascimentos ocorridos na Terra são de crianças índigo!

Fica muito evidente que alguma coisa está acontecendo. Mas, o quê? Astrônomos importantes como Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Sola, Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos, chegaram à conclusão de que o sistema solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação das Plêiades. Nosso Sol é portanto a oitava estrela da constelação e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione.

Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel de radiação que foi chamado de cinturão de fótons. Um fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética. A cada dez mil anos o Sistema Solar penetra por dois mil anos nesse anel de fótons, ficando mais próximo de Alcione. A última vez que a Terra passou por ele foi durante a Era de Leão, há cerca de doze mil anos.

Na Era de Aquário, que está se iniciando, ficaremos outros dois mil anos nesse anel de radiação. Sob a influência dos fótons, todas as moléculas e átomos do nosso planeta passam por uma transformação, precisando se readaptar a novos parâmetros. A excitação molecular cria um tipo de luz constante, permanente, que não é quente, uma luz sem temperatura que não produz sombra nem escuridão. Talvez por isso os hindus chamem de Era da Luz os tempos que estão por vir.
Desde 1972 o Sistema Solar vem entrando no cinturão de fótons, e em 1987 foi a Terra que começou a penetrá-lo, estando gradativamente avançando até que no ano de 2012 deverá estar totalmente imersa em sua luz.

As pessoas despertas acordarão como de um sonho com seus centros de energia totalmente abertos, livres do véu do esquecimento, tanto pessoal quanto planetário, pertinentes à terceira dimensão. As pessoas começarão a se reconectar com suas origens e propósitos da alma, que é o retorno da Consciência Crística para o planeta. Um novo campo de percepção está disponível para aqueles que aprenderem a ver as coisas de uma outra forma. Desde a década de oitenta, quando a Terra começou a penetrar no cinturão de fótons, estamos sincronizando com a quarta dimensão e nos preparando para receber a radiação de Alcione, estrela de quinta dimensão. O véu do esquecimento que envolve o nosso planeta cairá de tal modo que os primeiros Semeadores de Vida na Terra, vindos de outros sistemas, reaparecerão nos auxiliando a firmar uma nova civilização e a incorporar uma nova realidade.

Prestem atenção, eu vou repetir:

O véu do esquecimento que envolve o nosso planeta cairá de tal modo que os primeiros Semeadores de Vida na Terra, vindos de outros sistemas, reaparecerão nos auxiliando a firmar uma nova civilização e a incorporar uma nova realidade. Meus irmãos... é aqui que entram as Crianças Índigo! Essas crianças fascinantes... fantásticas... fabulosas... que são o próximo passo na nossa evolução como espécie humana.

Vocês se lembram da novela " Mulheres Apaixonadas " que a Globo apresentou algum tempo atrás? Vocês se lembram da Salete? Aquela menininha que tinha visões, que previa acontecimentos... pois bem, é o próprio autor da novela, o escritor Manoel Carlos, que fala: Nos Estados Unidos ouvi falar muito das Crianças Índigo. Salete é Índigo. Ela tem uma percepção da Luz, vê anjos, prevê acontecimentos, tem premonições... As Crianças Índigo são crianças espetaculares. E estão chegando para ajudar na transformação social, educacional, familiar e espiritual de todo o planeta, independente de fronteiras e de classes sociais. São catalisadores desencadeando as reações necessárias para a transformação. Elas possuem uma estrutura cerebral diferente no tocante ao uso da potencialidade dos hemisférios esquerdo, menos desenvolvido, e direito, mais desenvolvido. Isso quer dizer que elas vão além do plano intelectual. Elas exigem do ambiente à sua volta certas características que não são comuns nas sociedades atuais. E elas vão agir, aliás já estão agindo através do questionamento e transformação de todas as instituições rígidas que as circundam, começando pela família.

Família que se baseia na imposição de regras, sem tempo de dedicação, sem autenticidade, sem explicações, sem informação, sem escolha e sem negociação.
Essas crianças simplesmente não respondem a essas estruturas rígidas, porque para elas é imprescindível haver opções, relações verdadeiras e muita negociação. Elas não aceitam serem enganadas porque elas têm uma intuição para perceber as verdadeiras intenções dos adultos e não têm medo. Portanto, intimidá-las não traz resultado, porque elas sempre encontrarão uma maneira de obter a verdade.

A segunda instituição vulnerável à ação dos Índigos é a escola. Hoje, o modelo de ensino é sempre imposto sem muita interação, um modelo feito para o hemisfério esquerdo do cérebro, o racional, o lógico, incompatível com os Índigos que naturalmente têm o hemisfério direito mais desenvolvido, o que lhes dá o grande poder intuitivo, a grande capacidade de percepção extra-sensorial. Como elas possuem uma estrutura mental diferente, elas resolvem problemas conhecidos de uma maneira diferente, além de encontrar formas diferentes de raciocínio que abalam o modelo atual de ensino. Assim, através do questionamento, elas influenciarão todas as demais instituições, o mercado de trabalho, a cidadania, as relações interpessoais, as relações amorosas, as instituições espirituais, pois elas são essencialmente dirigidas pelo hemisfério direito.

Mas por quê índigo? Por que Crianças Índigo?

O nome: Criança Índigo refere-se à cor da sua aura, o azul-índigo, que indica uma aura de Mestre. São crianças especiais que decidiram encarnar no nosso planeta com uma missão e um objetivo específico: são guerreiros, detonadores de sistemas! Elas já vêm ao nosso planeta há bastante tempo. Alguns até argumentam que Jesus e Budha eram índigos, pois a missão deles, numa escala global, era mudar a consciência da humanidade.

Nos anos setenta, começaram a vir em ondas. Muitos deles... seres que hoje estão nos seus vinte...trinta anos, a geração guerreira que começou a desafiar e a mudar os velhos sistemas.

Nos anos oitenta e noventa, mais e mais ondas de índigos chegaram, agora com uma sensibilidade e refinamento maiores ainda! E no final dos anos noventa e início de dois mil eles estão ganhando a companhia das " Crianças Cristal " que chegam também como guerreiros... mas guerreiros espirituais!

Presentemente, nós estamos vendo uma geração de Mestres vindo para o nosso planeta, essas crianças fantásticas também chamadas de " Crianças das Estrelas" . Elas são a nossa esperança para o futuro, elas são a nossa esperança para o presente.
Mas como reconhecer um Índigo?

A resposta óbvia seria verificar a cor da sua aura. Mas nem todos os Índigos têm a aura na cor azul-escuro o tempo todo. O termo Índigo refere-se mais ao estado da alma do que a cor da aura que muda um pouco de acordo com sua disposição e seus interesses. Videntes que vêm os estados da alma podem identificar Índigos. No entanto, é fácil identificar um Índigo pela sua sensibilidade, criatividade, espiritualidade e padrões gerais de comportamento. Como crianças, elas se parecem com todas as outras crianças, embora sejam freqüentemente bonitas e com olhos penetrantes. São sempre altamente inteligentes e cheias de perguntas e exigências. Têm muita energia, são muito ativas, têm muita força de vontade e um senso forte do seu próprio valor e importância. Sabem que são especiais e que estão aqui para fazer alguma coisa significativa. Possuem amigos imaginários e adoram fadas e golfinhos. A inteligência excepcional das crianças índigo pode ser exasperante para os adultos. Ninguém lhes dirá o que fazer, elas quererão debater e negociar cada instrução, cada ordem.

Até que os pais aprendam que estão sendo ensinados e aprendam a respeitar o direito de escolha da criança e honrar essa escolha, eles continuarão a ser confrontados com lutas de poder e batalhas de força de vontade. A maneira correta de lidar com um Índigo é de estar disposto a negociar, explicar, dar-lhe escolhas. Ordens como "Faça assim porque eu estou mandando" só produzirão hostilidade e indiferença. Os Índigos geralmente não gostam nada-nada da escola. Ficam entediados pelo passo vagaroso e pelas tarefas repetitivas. Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou a serem simplesmente ouvintes. São hiperativos, distraem-se com facilidade, tendo baixo poder de concentração. Têm alta sensibilidade, não conseguem ficar quietos ou sentados, a menos que estejam envolvidos em alguma coisa do seu interesse. Por serem orientados pela parte direita do cérebro, quando adultos, são geralmente atraídos por atividades e ocupações que usam o hemisfério direito, como a música, a arte, a escrita, a espiritualidade. Adoram cristais, Reiki, meditação e yoga. São intensivamente leais aos seus amigos, acreditam em honestidade e comunicação nas relações. Ficam freqüentemente desconcertados com a desonestidade, a manipulação e outras formas de comportamento egoísta.

Uma das características-chave dos Índigos é freqüentemente a sua ira. As figuras de autoridade não conseguem nada com elas. Num nível profundo, elas não reconhecem a autoridade. Sabem que somos todos iguais e por isso ficam irritados, furiosos mesmo, com aqueles que se comportam ditatorialmente , quer sejam pais, professores ou patrões.

São muito compassivos, amam os animais e qualquer forma de vida; têm muitos medos, como medo da morte e perda dos seres amados. Se experimentam muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente. Um problema sério quando se trata de Crianças Índigo é o diagnóstico errado habitual dado aos índigos, catalogados como portadores de Transtorno do Déficit de Atenção ou do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade. Com isso, dá-se medicação a elas, sedando toda a sua imensa potencialidade. Essas crianças estão aqui para nos ajudar na transformação do mundo. Portanto nós precisamos aprender com elas, principalmente escutando-as e observando-as. As Crianças Índigo chegam aqui para nos dar um novo entendimento, são verdadeiros presentes para os pais, para o planeta e para o universo. Quando honramos estes pequeninos como presentes, nós vemos a sabedoria divina que eles trazem para ajudar a crescer a vibração do nosso Planeta.

O passo mais importante para entender e se comunicar com essas crianças é mudar a nossa forma de pensar a respeito delas, derrubando os nossos paradigmas para honrar os pequeninos como presentes ao invés de problemas. Assim abriremos as portas para perceber a grande sabedoria que elas trazem. Os pequeninos honrarão essa intenção, e um caminho para o entendimento aparecerá.
Até aqui, falamos dessas crianças maravilhosas, as Crianças Índigo. Mas existe mais... as Crianças Cristal estão chegando!

Por volta do ano dois mil essas crianças começaram e encarnar na Terra. Elas representam o próximo passo na evolução humana. Elas seguem às crianças índigo. Sua missão é completar o trabalho começado pelos índigos. Elas também são detonadores de sistemas, são os guerreiros espirituais que vêm desmantelar e remover maneiras velhas e limitadas de pensar e elas vêm para começar o processo de renovação e reconstrução.

A missão primária de uma Criança Cristal é ensinar as maneiras de vida muiltidimensional em harmonia, paz e amor. Elas estão vindo nos ensinar como viver vidas emancipadas com o reconhecimento dos nossos plenos poderes. Elas estão vindo para nos ajudar a nos ligar novamente com as Energias Divinas. Elas representam o caminho futuro da raça humana. E uma das dádivas mais mágicas delas para conosco é que elas são catalisadores para a nossa evolução: várias crianças e adultos Índigo estão fazendo a transição para o estado Cristal com a ajuda da elevação energética que essas crianças fornecem pela mera presença delas na Terra.

As Crianças Cristal são primariamente reconhecidas pelas suas auras que são geralmente claras como cristal mas também podem ter tons de dourado, azul-índigo ou púrpura, dependendo de sua afiliação de Raio. As Crianças Cristal nascem com acesso ao seu Eu Multidimensional e estão geralmente ancoradas na Sexta Dimensão com a habilidade de se abrirem para a Nona Dimensão, a completa Consciência do Cristo! Isso quando o planeta estiver pronto, provavelmente em torno do ano de 2012, quando a primeira geração de Crianças Cristal atingir os 12 anos de idade.

Existem algumas características bastante definidas que as Crianças Cristal têm quando encarnam:
São geralmente bebês grandes e freqüentemente têm cabeças que são proporcionalmente grandes para os seus corpos. Tem olhos grandes e penetrantes e fitam as pessoas nos olhos por longos períodos. O que esses bebês estão fazendo é acessar os registros de alma do adulto e ler quem é ele. Esse é um comportamento perfeitamente normal para essas crianças e elas ficarão muito contentes se o adulto fizer o mesmo de volta. É a maneira cristal de se comunicar, olhar para a alma de outro ser e sentir quem é ele. Uma coisa que todos nós aprenderemos a fazer no futuro. Emocionalmente, elas são geralmente bebês muito bons e calmos formando um laço intenso com a mãe. Esta é, geralmente, a primeira encarnação delas neste planeta e precisam da reafirmação e estabilidade que a presença física da mãe pode oferecer. São crianças extremamente amorosas e freqüentemente procurarão ajudar e curar tanto humanos como animais em sofrimento.

São crianças também extremamente sensíveis. Elas não só são capazes de ler o registro da alma de uma pessoa como também sentir todas as tensões e raivas não resolvidas que a pessoa carrega em seu subconsciente. É por isso que elas são tão sensíveis ao seu meio ambiente. Educar uma Criança Cristal pode ser um verdadeiro desafio. Freqüentemente os assuntos não resolvidos dos pais são sentidos pela criança , que será afetada negativamente por essas emoções. Mas a característica pessoal mais fora de série das Crianças Cristal é o seu poder. Elas são muito poderosas! Elas têm as energias poderosas de um Mestre da Sexta Dimensão. É por isso essencial que os pais aprendam a respeitá-las e a negociar com elas. Senão essa energia poderosa será usada em lutas por poder que seus pais ou educadores nunca irão ganhar.

Crianças Cristal têm várias dádivas especiais que derivam das suas habilidades multidimensionais. Elas têm a habilidade não só de ler os campos de energia das pessoas como muitas outras habilidades psíquicas, desde mover objetos mentalmente até ler livros sem abrí-los e ainda têm uma grande habilidade de comunicar-se telepaticamente e é por isso que elas, às vezes, não falam até que tenham 4 ou 5 anos de idade. A missão de todas as Crianças Cristal é avançar a evolução humana pelo processo da ascensão. Elas estão aqui para nos mostrar como viver de uma maneira completamente nova e diferente. Só por chegarem em tão grande número e ancorarem a Energia Crística, elas estão facilitando uma mudança nas energias planetárias. Mas também estão aqui para nos ensinar técnicas de vida multidimensional para o reconhecimento dos nossos plenos poderes.

A Criança Cristal move-se facilmente entre as diferentes dimensões. Não estão nada limitadas ao mundo da terceira dimensão, embora tenham corpos e funcionem na realidade da terceira dimensão elas estão essencialmente sintonizadas na sexta dimensão e trazem essa energia para o nosso planeta. O princípio fundamental por trás dessa maneira de viver é a Consciência da Unificação. As Crianças Cristal percebem e vivem a Unidade. Elas sentem as energias dos outros. Elas apanham ansiedade e stress que não são delas. Elas sentem as toxinas no ambiente e na comida. Temos que estar conscientes da dádiva que estas crianças nos trazem. Elas são o futuro. Elas nos mostram o que estamos nos tornando. E a dádiva especial delas para conosco é para nos dizer que nós podemos nos tornar assim como elas agora, se deixarmos que as suas energias nos movam para o próximo degrau na escala da evolução.